quinta-feira, 27 de março de 2008

um estranho no céu...


saiu apressadamente, antes que pudessem vê-lo...

estava brega, mas pensou que não importava... pensou que aquela seria a última oportunidade que teria antes de qualquer coisa que pudesse pensar mais profundamente.

idéias brilhantes não cabiam naquele momento... é quando o subconsciente abre que ele consegue espaço pra essas tais coisas de fugir...

até os andes? republicana dominicana? peru? bolívia? macedônia? incongruências...

é quando via as nuvens falarem com ele que acreditava que não era louco... acreditava mesmo, mesmo, mesmo... via um cachorro, um pássaro, galinha com pintinhos, via pessoas, via Deus...

mas ele nao acreditava que podia falar com alguém através dos céus, apesar desse mundão azul e branco falar com ele... ele preferia aquela loucura de sempre, do que entender finalmente que não estava louco...

foi coisa de minuto. pá. pum. já.

ele saiu correndo, sabe, e foi tão lindo, sabe? lindo mesmo... lindo mesmo...

e desde aquele dia as nuvens pararam de segui-lo e ele parou de falar com elas...

foi lindo ir vê-lo morar com elas...

me dá um quê de saudade às vezes...

mas aí eu olho pro azul e lembro dele e ele deve, em algum ponto daquela insanidade que o corrói, lembrar de mim...

2 comentários:

Sanmya disse...

oi isa!

vou esperar ansiosa o seu texto sobre 'as horas'...coisa linda aquele filme né?

vou passar aqui mais vezes, viu?
abração

I. Bê. disse...

.às vezes converso com as nuvens, com a Geni e com as pedras, e só nesses momentos eu me permito ser um pouco sacana. um dia isso passa - como brancas nuvens. ,)

há tempos não estudo mais a linguagem dos bologs, mas posso ajudar em alguns detalhes. o meu, por exemplo, não é lá o que eu queria que fosse, mas pelo menos não me faz mais gritar com o computador. ,) marquemos o dia das mudanças e dos rabiscos no livro.

.aliás, suspeito que foste a corajosa quem comprou o livro na banca do castanha. quando ele me disse que vendeu um dos dous que deixei com ele quase tive um treco de alegria. 'até que enfim', pensei.

,)

.amplexos.