sábado, 1 de maio de 2010

por que não nos ensinam a morrer?

pisar no mesmo chão
sujar de terra a mesma saudade
beliscar a ausência
chorar compulsivamente a presença

derreter em risos.

abafar uma solidão com o grito
escancarar de silêncio uma paixão.

nadar num rio de livros
balançar numa árvore de borboletas
voar fora da asa (como dira ele, o poeta)

usar figuras de linguagens
onomatopeiar quando preciso
navegar em outra dimensão assim que necessário

botar fim, no fim
e só então começar, de verdade, um começo

para onde vamos?
por que não nos ensinam a morrer?
por que, simplesmente, não nos ensinam a entender que, se termina um fim
é só porque começa de verdade um começo

e até que entendamos isso, de que começo e fim não são, necessariamente, parte da mesma história, dói.

e como dói.



(Dyolen, vá em paz)

2 comentários:

Laíse disse...

não nos ensinam a morrer, e nem a nos conformar com a morte alheia. difícil...

danzito disse...

Só fica a saudade..