terça-feira, 12 de janeiro de 2010

não tenho mais suas mãos
e me dói a alma
a beleza delas me espantava

não tenho mais a saudade matada em minutos
adormecida pelo seu cheiro bom
e isso me dói

não me sobra o abraço forte
as ligações "apenas para escutar sua voz"
e isso me mata a cada segundo

a solidão
tal qual uma morte dentro da vida
não me conforta
como antes de você

li em garcia marquez que
"nada en este mundo es más dificil que el amor"
e queria ir correndo te mostrar

queria que me ouvisse em espanhol
mais do que nunca
e queria chorar desesperadamente sem motivo nenhum

mas não consigo
não posso
não dá

o meu choro é desesperado
é triste
é mais que um pedaço da morte na vida

é a morte
é esperar um filho que não vem
porque nunca existiu

a cabeça é um caderno branco
a fotografia um saco de lixo
não tenho ânimo
nem coragem
e me falta voz,
força

sem você afundei
e voltei a pintar meus dias de preto.

2 comentários:

iuri disse...

.a cor preta é a mistura de todas as cores... por esse aspecto, no fundo, teus dias não são tão maus assim... ou eu estou sendo deveras superficial - como sempre.

.bons versos, vecina.

Oxum disse...

O Simples não é tão simples assim.

Li e concordo com ele.

Bjim